Dois anos de Chakra

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

compartilhe

Hoje em dia manter um club não é uma tarefa das mais fáceis, tem que ficar antenado em tudo que acontece no Brasil e no mundo em relação a música e trazer exatamente o que o seu público quer ouvir, existe também aqueles milhares de amigos que irão surgir e pedir para tocar ou então para liberar a entrada dele e de mais uma dezena de amigos dele e também o temido risco de levar “uma ré” daquelas. Essa tarefa se torna ainda maior quando o club encontra-se fora de um grande centro.

No último final de semana o Chakra, club localizado no planalto catarinense, completou dois anos de luta, sucesso e de muita admiração por aqueles que o conhecem. Minha última ida ao club foi em Junho do ano passado e confesso que estava com saudades.

Assim como eu acredito que muitos do que frequentam o Chakra desconhecem um pouco da sua história e pensando nisso resolvi realizar uma breve entrevista com o Cleber Reitz, um dos sócios e fundadores do club.

Como surgiu o Chakra?
O Chakra surgiu de um grupo de amigos de São Bento do Sul que realizavam algumas festas eletrônicas neste mesmo local onde hoje é o Chakra, antes era diversão e hoje além da diversão virou um negócio profissional.

Já se passaram dois anos, você se lembra da primeira festa?
Com certeza. Primeira festa foi com Daniel Gavilán toda a cidade se mobilizou por inaugurar uma nova casa com um conceito inovador na cidade, hoje olhando para trás vemos uma grande evolução em todos os aspectos.

Quais as dificuldades de manter um club fora de um grande centro?
Temos várias dificuldades de estar longe dos grandes centros, a maior delas é o fato de o público ser reduzido. Outra grande dificuldade de ter um Club no interior é o tradicionalismo do público em geral.

e as facilidades?
Facilidades? Até agora não achamos nada muito fácil hehehe, mais se pode ter algo bom em ter um club fora de um grande centro é o fato de sermos únicos na nossa cidade.

Vamos fugir um pouco daquele “profissionalismo”, nos diga qual a melhor apresentação e qual deu mais problema nesses dois anos?
Nesses 2 anos vi muitas apresentações boas, mais uma em especial não me sai da memória e creio que para muitas outras pessoas também, foi Daniel Kunhen dia 22 de dezembro 2012 onde fechamos o ano com chave de ouro em uma festa inesquecível e com belas apresentações de todos os Djs fazendo o público permanecer do começo ao fim.

Uma festa que não temos boas lembranças foi a do dia 21 de setembro de 2013, na semana da festa perdemos uma pessoa muito especial da família do Chakra club. Nosso Vj Lucas Stock Schneider. A noite foi vaga e chuvosa.

Tem o desejo de trazer um artista em especial?
Sempre tive muito desejo em trazer 2 artistas. Um deles Mau Mau que é uma lenda viva para o povo brasileiro, para minha alegria ele veio em Abril deste ano, sem dúvidas uma grande apresentação e uma grande festa.

Outro DJ que tenho muito interesse em trazer é Dimitri Nakov, Me recordo da primeira festa eletrônica que participei, ele já era considerado o melhor dj do mundo, ele está no plano para este ano estarei realizando um sonho.

Ultimamente tenho ouvido muitos donos de clubs reclamarem da “cultura da lista VIP”. Como você vê essa situação?
Essa cultura é um pouco complicada, pois esse se torna o grande problema para os donos de Clubs trazerem a qualidade para o seu público, mais cada casa tem o dever de se adaptar com sua lista.

O que o club faz para incentivar o público a comprar tickets?
Preços diferenciados para antecipados, além de evitar filas geralmente quem compra antecipados do Chakra ganham brindes, como Cd promocional ou chaveiros do Club.

Durante esses dois anos o que mudou no club, em vocês (sócios) e no público?
Sempre trouxemos a qualidade e a inovação para o público, o público aprendeu e vem ficando cada vez mais exigente.

Cabe a nós responder a essas exigências e continuar evoluindo em todos os aspectos como nesses 2 anos.

Descreva o Chakra em algumas palavras.
Um lugar aconchegante em meio a natureza, cheio de boas energias, pessoas bonitas e som de qualidade…

Quais os planos para continuar inovando com o Chakra?
Continuar trazendo atrações novas, e evoluindo tanto musicalmente quanto estruturalmente para satisfazer os pedidos do público.

Próximos eventos