Review: Chakra @ Victor Ruiz

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

compartilhe

Por: Daniel Polinario

Não é mais surpresa o Chakra estar entre um dos melhores clubs undergrounds do Brasil, também não é mais novidade a vinda de grandes artistas fazerem parte do lineUp do club, e, desta vez não foi diferente, após um começo de 2017 recheado de grandes atrações como Zopelar , L_cio, H.N.Q.O, Léo Janeiro, Mumbaata e Blancah, desembarcaram no Planalto norte catarinense, dois consagrados nomes do Warung Beach Club, Danee e Victor Ruiz, além dos residentes do club, Push Pull e MIIV.

Abrindo a noite com um warm up digno, o residente Push Pull mostrou toda sua qualidade, conhecimento de pista e técnica, não é a toa que hoje faz parte do time de instrutores da Academia Internacional de Música Eletrônica — AIMEC, onde atua até hoje como instrutor nos cursos de produção musical e DJ na sede de Joinville. Costumo frisar que um warm up mal elaborado pode “matar” a pista para a atração principal, mesmo que não pareça para quem não é muito ligado ao mundo da música eletrônica, muitas vezes é mais difícil ser o primeiro DJ da noite, do que o DJ principal. Sabendo dosar a pista do início ao fim do seu set, com uma linha dançante fez o público chegar ao ponto exato para uma das estréias da noite, Victor Ruiz.

Nesse último evento do club, onde o head line era o conhecidíssimo Victor Ruiz, nosso “chefinho” me deu a difícil tarefa, mas muito prazerosa, de fazer as honras da casa e deixar a pista quente para o Ruiz. Noite muito especial na minha estória com o club, foi à primeira vez que tive o prazer desta função no Chakra, a previsão era para um long set de 5 horas, das 22 às 03 horas da manha mas, minha apresentação encerrou por volta das 02:20 da manhã, um pouco antes do previsto devido a empolgação do Victor Ruiz. Acho que cumpri bem o papel ao qual fui submetido, um pouco triste, pois para mim a música é muito mais que status, dinheiro ou fama, é um grande prazer, ou seja, quanto mais tempo puder ficar nos decks melhor, ao mesmo tempo fiquei aliviado, pois depois de alguns drinks precisava fazer algo que ninguém poderia fazer por mim rsrsrs…. Quem é DJs sabe do “aperto” que passamos frequentemente com esse tipo de situação.

Enfim, posso dizer que foi uma noite para ficar marcada na minha longa historia como DJ, principalmente por ser no club do coração, minha segunda casa, e por ver o sorriso no rosto do publico a cada virada. (Push Pull)

As duas da manhã o paulista Victor Ruiz assume a pista, sem dúvida a tão aguardada estréia da noite, o que se presenciou foi o público saindo do deck, dos camarotes e lotando a “front” tudo para acompanhar sua estréia e ele mostrou porque hoje no Brasil é difícil falar de Techno sem lembrar seu nome. Com anos de estrada, Victor Ruiz sempre teve opiniões divididas com seu estilo, produções e apresentações, com sua linha de track de puro Techno, aquela musica que você não quer que acabe, um grave que rasga a alma, conduziu a pista como quis, até parecia que já esteve no club e a conhecia muito bem, e a mesma correspondeu no decorrer do Set, e as 3:15 ela explodiu com a track Nevermind e quase no final da sua apresentação com o remix para a música do Geraldo Vandré — Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores a pista não parou um minuto, dançou, vibrou, foi um set digno de um dos mais renomados nomes do Techno nacional, e sem dúvida alguma, foi uma bela estréia, com certeza vai ficar na memória do público e do club.

Diante de uma estréia sempre paira um clima de tensão, ansiedade, nervosismo pela eminência de algo novo estar por acontecer, o que foi logo se transformando em algo muito nostálgico assim que pisei no clube por lembrar de diversas outras situações como essa.

Pegar uma pista depois de um set bastante enérgico do Victor Ruiz é uma tarefa difícil para qualquer DJ hoje no Brasil, e eu só tinha uma coisa em mente, mostrar para o público do Chakra do porque estar ali naquele momento. O SET se desenrolou da maneira que eu queria durante as três horas de apresentação, trazendo logo nos primeiros minutosa cadencia e alguns elementos característicos no meu estilo. De manhã, ao final do SET, tudo fazia sentido, a interação do público na última música me deu a certeza de que estava acontecendo algo muito especial. (Danee)

Após esse ápice, Victor Ruiz entrega a pista para outro estreante da noite Danee, mais um artista com destaque no cenário eletrônico nacional, acostumado a fazer grandes apresentações por onde passa, não iria ser diferente no Club, Danee em sua carreira já abriu pista para muitos DJ’S renomados mundialmente, um de seus melhores warm up sem dúvida foi para Herman Catanneo que até hoje é lembrado por muita gente, e ele não deixou por menos, recebendo a pista eufórica pela grande apresentação anterior, ele mostrou realmente que tem um feeling fantástico, não deixou a pista cair, parece que estudou o público antes de sua estréia.

Claro que a grande maioria estava ansiosa pela estréia do seu antecessor no line, mas na minha opinião quem roubou a cena foi Danee, QUE SET, tracks elaboradas a dedo , uma linha progressiva, marcante e melódica e o público também não deixou por menos, acompanhando o set sem desanimar, e pra ser sincero, a energia que esse club e essa pista tem sem dúvida é o que faz a diferença para qualquer artista.

Falando em pista fantástica, entra para fechar a noite ou começar o dia, Maylton Tavares aka MIIV, outro residente do Chakra , um dos DJs com mais horas tocadas nesse line desde a inauguração do Club. Já virou uma tradição dos residentes da casa, não deixarem por menos, mostrando que o dever de casa é sempre bem feito. Entrar depois de duas mega atrações renomadas, não é uma tarefa das mais fáceis, sendo que o closing, é como um warm up invertido, só que sem tempo limite para acabar, manter a pista coerente e energizada até o fim da festa é quase uma maratona e nessa hora o feeling do DJ conta muito. Conhecer a pista e o público certamente não é uma tarefa fácil, mas para MIIV isso não foi problema algum, levou a pista como quis, fechando com chave de ouro uma noite certamente marcante para os amantes da boa música.

Ser DJ residente do Chakra é algo muito gratificante, mas que também traz uma grande responsabilidade. Afinal fazer as honras da casa é mostrar que os residentes estão em constante evolução assim como o club esta. As semanas que antecederam a festa foi difícil administrar a ansiedade, ai quando soube que iria assumir a pista do Danee a responsabilidade dobrou de tamanho porque admiro demais o cara.

Na noite da festa foi tudo perfeito, eu e meu irmão gêmeo demos um role com o Victor ja no que chegamos no club. Depois encontrei o Danee, Gesser e Schlempe. Crew de DJs formada altas ideias, conexão total.

Tudo fluiu perfect, mandar meu set foi diversão total. Jogar em casa é sempre bom demais! Depois de todos esses anos como residente a energia desse pico me impressiona a cada gig. (MIIV)

O que se viu foi Mais uma noite memorável para o Club que não para de se destacar. Sem dúvida Cleber Reitz e todo seu Staff vem desenvolvendo um trabalho fantástico, e certamente muitas atrações renomadas vão fazer parte do lineUp ainda este ano, aguardem!!

Chakra Club
Feel The Sound.

Próximos eventos