Conheça #10 – PLC

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Entrevista PLC

Enquanto as caixas e as pistas continuam silenciadas, batemos um papo com o produtor e organizador da Burn Trance, PLC. O artista nos falou sobre o seu início de projeto, sobre a Burn e as novas tracks que lançou neste início de ano.

Vale a pena conferir e conhecer um pouco mais de PLC.

Como e quando surgiu o projeto?
A idéia de criar o projeto apareceu em 2016, quando frequentava várias festas e festivais de música eletrônica, foi quando percebi que só curtir as festas não era o bastante. Então cai de ponta no mundo da música.

Qual o significado do nome PLC?
Desde criança, amigos mais próximos sempre me chamaram de POLACO, usava no grafite para abreviar como PLC e muitos me conhecem como PLC.

Quais foram suas influências no início da carreira e atualmente?
Minha maior influência foi o Psytrance, participei de várias festas, nas quais era o único projeto de Psytrance e assim ganhei espaço em festas nessa vertente. Devo muito ao DJ Dougue, que me ensinou técnicas essências. Atualmente minha influência é receber os feedback de quem me acompanha. Já os projetos que sempre me identifiquei e me influenciaram foram Freedom Fighters, Capitan Hook, Klipsun entre outros.

Você também é idealizador da festa Burn Trance que ocorre pela região de Curitiba. Quais as principais dificuldades de um organizador?
O mais difícil e fazer tudo legalmente, seguro e que tenha um retorno positivo do público para que a cada evento tenhamos uma evolução.

Vocês tiveram que adiar a 5 edição da Burn Trance devido a pandemia, quais os prejuízos que um adiamento destes causa para a organização e como vocês estão enxergando o cenário para a próxima data?
Em relação ao financeiro, tivemos um prejuízo com passagens aéreas canceladas, não foi possível adiar  por não termos a certeza de próximas datas. Temos essa incerteza todos os dias, já nos programamos para várias datas e infelizmente a cada dia que passa tem ficado mais longe nosso encontro.

A ansiedade com sonhos e planejamentos pausados é o q nos abala. Quando os eventos voltarem haverão muita festas para poucas datas. Desta forma algumas datas possivelmente serão conflitadas, nas quais terão quedas de públicos. Porém o público está todo esse tempo sem curtir uma festa de Psytrance, então quando voltar eles irão com mais frequência.

Para você qual o prejuízo da Pandemia para a cena local?
O prejuízo é a falta que está fazendo a pista para o público e o publico nas pistas, mas vejo que esse prejuízo será recompensado na volta, pelos DJs que terão um arsenal de músicas inéditas.

Falando um pouco sobre a cena local, vemos que você dá bastante espaço a artistas novos nos lines da Burn. Quais artistas regionais que você indica para que outros núcleos possam abrir espaços também?
Vou citar alguns nomes que já participaram da Burn Trance e que desde o começo da carreira vejo dedicação e evolução: Neit – 8, Baruk, Aquarium, Magu, Lostalgix, Jack Chein, Nala, e muito mais. Lembrando que nossa próxima edição, contará com um palco de novos talentos, com 24 atrações.

Você já possuí um live 100% autoral, como você definiria suas tracks?
Sim 100% autoral já tenho 16 músicas autorais . Enxergo minhas músicas como algo novo, uma mistura de Progressive com uma linha noturna psicodélica, procurando minha identidade musical.

Existe alguma track que é a “mais” preferida?
A minha preferida é minha nova música Mechanism, que ainda irá sair..

Como é o seu processo de criação?
Minha Daw preferida é o Ableton Live e os plugins e VSTs são Serum, Albino, Sylent 1 e Ana 2. Na parte criativa uso teclado mid, controladora para sintetizações e automações e minhas caixas de referência, bem arroz com feijão. Para mixagem uso meu fone que gosto muito, bem flat me ajuda muito. As idéias vem bem antes de começar as track, quando coloco em prática muitas coisas vem naturalmente.

O ano começou com vários lançamentos temos mais novidades para 2021?
Já estou muito feliz pelos dois lançamentos neste começo de ano e agora na segunda quinzena deste mês sai uma faixa muito importante para mim, pela Darkon Records, em colab com meu amigo Gabriel Ribeiro aka Labirinto Sonoro. Tem muita coisa por vir, mas essa é a mais aguardada.

Saiba mais…
Soundcloud
Facebook

Próximos eventos