A Cena Curitibana #01 — Laimana

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

compartilhe

Foto: www.facebook.com/triphotos/

Cena! Uma palavra que a cada vez vem sendo mais utilizada para definir e até mesmo parametrizar nosso universo eletrônico. Então nada mais justo do que tentar entendermos um pouco de como está esse mercado para alguns e resistência para outros.

Durante os próximos meses estarei conversando com responsáveis por núcleos e artistas buscando compreender como está este nosso cenário seja ele psicodélico ou club, seja ele do dark, hitech, progressivo ou techno.

E para começarmos com chave de ouro, convidei uma das profissionais mais respeitadas da cena local, Ieda Laimana. Responsável pelo Circuito Dark e Hitech, pelo projeto noturno Laimana e mãe de três meninas que já compartilham esta paixão pelo trance.

Ultimamente temos vistos várias festas nascendo, crescendo e outras até mesmo ressurgindo. Como você vê este momento para a cena local?
Vejo um momento muito positivo, e feliz para mim, como DJ principalmente, pois as oportunidades acabam aumentando pra nós, em 2015 e 2016 tivemos algumas tristezas com festas no nosso cenário paranaense que não deram certo e acabaram abalando nossa cena. Vejo que agora estamos no caminho inverso com a recuperação da nossa credibilidade, e festas muito bem planejadas e bem organizadas…

Sabemos que para uma festa obter sucesso não depende apenas da organização, mas também do público e dos artistas. Como você enxerga o papel de cada um dentro da sua festa?
Na minha visão a responsabilidade de todo mundo e igual, porque pra festa acontecer os artistas e o publico também tem que acreditar e comprar a ideia. Precisamos dessa interação entre todos pra coisa acontecer da forma que precisa!

Como artista e organizadora você acredita que ainda é possível realizar uma festa com toda aquela essência de antes?
Acredito sim, tanto que estou inserida na cena como DJ e produtora de eventos por acreditar nesses ideais e acreditar na nossa cultura! Claro que as coisas mudam e evoluem e os momentos que foram vividos no passado nunca serão iguais, mas também, agora é um momento novo com mais possibilidades e isso pode tornar as festas ainda mais mágicas do que eram antigamente.

Por exemplo, um ponto de eu sempre toco porque acho bem importante é a parte da alimentação, antigamente as festas não se preocupavam com comidas dentro do evento, hoje as festas acabaram se tornando mais completas por se preocupar e ter dentro do evento uma praça de alimentação, gerando mais conforto pra todos!

Como manter uma festa psicodélica e não acabar indo para o lado comercial?
Olha, complicado falar , principalmente eu, que participo bem ativamente da cena mais underground. Pra mim essa preocupação é uma coisa natural, porque quando planejamos o Circuito Dark e Hitech olhamos o todo com essa visão bem psicodélica, de acordo com todas as vivencias que tivemos, então não consigo nem imaginar como seria organizar uma festa mais comercial.

Na nossa festa desde a bioconstruão, decoração, artistas, publico, sound system, projeções tudo acaba pendendo pro lado mais psicodélico da coisa , que eu acho que é o que mantém a essência.

Saiba mais:
www.facebook.com/djlaimana
www.facebook.com/circuitodarkehitech

Próximos eventos