Estamos também no

Curitiba agora tem psy, carne e cerveja.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

compartilhe

Feijão com arroz, goiabada com queijo, catuaba com abacaxi, feira com caldo de cana e pastel, e agora o pessoal da Psychodelicos e do Psicodelia.org acabam de criar a mais perfeita das combinações em Curitiba: Churrasco, Cerveja e Psytrance.

No dia 17/06 tivemos a primeira edição do Churras Trance, que aconteceu no Bar do Gaúcho em Curitiba. O evento foi uma ótima oportunidade para reunir o pessoal que respira psicodelia na cidade e poder conversar com um pouco mais de tranquilidade do que conversamos nas festas. Trazendo um espirito de confraternização, carne, cerveja e muita música boa de alguns artistas locais como Caio Slompo, Titicow, Magoo, entre outros.

Confira abaixo um bate papo que fiz com Douglas Behrend, um dos “cabeças” deste projeto.

Psy, carne e cerveja! Como surgiu essa combinação e qual o principal motivo deste projeto?
A ideia surgiu a partir de uma conversa de bar entre a nossa equipe, depois do aniversário do Douglas, uma festa que reuniu muita gente da cena, churrasco, cerveja e PsyTrance. Observamos aquilo, a empolgação da galera e achamos que seria legal fazer eventos desse mesmo formato sem grandes pretensões, apenas para reunir amigos e curtir o sábado.

No mês passado (17) tivemos a primeira edição do evento no ponto de vista como um dos idealizadores deste projeto, como foi essa edição?Superou expectativas, mesmo com um grande evento que aconteceria após o Churrasco tivemos o público esperado e o melhor: feedbacks extremamente positivos!

Qual o futuro para o Churras Trance?
Pensamos grande, quem sabe um churras open air com costela em fogo de chão, artistas antigos da cena e também os que estão começando agora, valorizando cada um que se dedica pela cena!

Em paralelo vocês são responsáveis pela organização da Psycodelicos e da Psicodelia, como é essa “luta” para manter viva a essência do psytrance em Curitiba?
Não é uma tarefa fácil! Em paralelo a tudo isso cada um tem o seu trabalho, nenhum de nós vive especificamente nos núcleos, acaba sendo um segundo trabalho e isso mostra o quanto cada um ama essa cena psicodélica. Fazemos festas, geramos conteúdo, tudo isso com muita paixão e tentando entregar o que nós gostaríamos de receber se estivéssemos no lugar do público.

É muita correira mas é extremamente gratificante quando vemos um feedback positivo de um trabalho que demorou meses para ser concretizado. Acreditamo que estamos onde queremos estar e no caminho certo!

Próximos eventos