Movimente-se!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

compartilhe

“Movimento cultural é uma mudança ou ruptura no modo vigente de se produzir arte.” Aqui no Brasil temos um grande histórico de movimentos que ousaram e revolucionaram uma nova geração como o Tropicalismo, a Semana de Arte Moderna, o Cinema Novo e a Bossa Nova. Já quando ampliamos nossos olhos para o mundo temos movimentos ainda maiores como o Punk e o Hippie.

Um movimento surge quando percebemos a necessidade de mudar algo e é justamente esta mudança que o núcleo Tríade Trance visa quando realiza suas edições do Movimento Cultural Psicodélico. Resgatar a essência de um movimento não é nada fácil, mas quando conseguimos mostrar esta essência para parte de um público estamos dando os primeiros passos para esta mudança.

Estive, pela primeira vez, na edição comemorativa de um ano (10 de fevereiro) e sai de lá me perguntando onde é que eu estava durante este ano que se passou. A energia que o evento transmite é algo completamente renovador, ver crianças, adultos e pessoas de mais idade convivendo em um mesmo espaço é algo completamente diferente do que temos acompanhado ultimamente.

Para termos uma dimensão da revolução causada pela organização, basta olharmos para o depoimento de uma lenda viva do Movimento Psicodélico aqui no Brasil.

Venho aqui expressar o tesão que me deu de tocar neste domingo pra vcs, passou como se fosse uma hora, mas fez o efeito de 10 horas, me emocionei, flutuei, alcancei outra dimensão. Pra mim o que importa não são os aplausos mas sim o que vi diante de meus olhos, um movimento de dança intenso e poderoso na pista o tempo inteiro, pessoas empenhadas no exercício da dança e dispostas a permitir a música alcançar o ponto de cura. Espero voltar em breve pra mais um vôo sem escala pra outra dimensão.

O depoimento acima foi postado por nada mais, nada menos que Rica Amaral, que fez uma das apresentações mais incríveis dos últimos anos para mim.

Após esta incrível experiência tive a oportunidade de conversar Kim Gitahare, DJ e uma das responsáveis pelo Movimento Cultural Psicodélico, que você pode acompanhar abaixo. As fotografias que ilustram este post foram produzidas pelo amigo e parceiro Matheus Henrique.

Se você, assim como eu, nunca vivenciou uma edição do Movimento Cultural Psicodélico, sugiro abrir os olhos para o mundo, sair da sua zona de conforto e conhecer mais sobre este evento organizado pela Triade Trance.

Por que e como surgiu a ideia de criar o Movimento?
O Movimento Cultural Psicodélico surgiu quando sonhávamos com um ambiente onde todas as pessoas tivessem a oportunidade de viver momentos únicos que só encontramos em grandes festivais, dando a oportunidade para outras pessoas quebrarem preconceitos sobre nossa cultura e principalmente em proporcionar um encontro com conforto e segurança para todas as idades. Sentimos que as festas estavam tomando um rumo vazio, focando apenas em coisas que não proporcionam às pessoas um novo sentimento de vida e uma experiência renovadora. Hoje temos um público misto, entre crianças, adultos, jovens e até a galera +50 anos que vem curtir um Domingo com oficinas de artes, terapias holísticas, conversas e novas amizades, muita música e boa comida ao ar livre. Muitas pessoas trazem familiares e amigos que nunca tiveram a oportunidade de conhecer a cena Psy Trance, e afirmam que lá se sentem à vontade de apresentar o que é todo esse movimento psicodélico no qual eles participam e que tanto se identificam.

Vemos muita diferença na proposta do Movimento com as demais festas da região. Quais as dificuldades de se organizar um evento desta maneira?
Com certeza temos mais custos entre oficinas, terapias e atividades gratuitas que oferecemos dentro do evento, além que a implantação dessas atividades nos geram uma carga maior de trabalho e atenção administrativa. Esse projeto tem um custo final acima da média de Pvts, mas com tudo bem planejado estamos obtendo bons resultados e sentimos que o público está aderindo ao projeto e curtindo muito esses momentos.

Qual a importância de um evento multicultural para o cenário local?
Curitiba está entre as cidades referências da música eletrônica nacional. Para quem acompanha a cena eletrônica psicodélica, sabe que compartilhamos de idéias que visam sustentabilidade, autoconhecimento, desenvolvimentos psíquicos e interatividades em geral. Eventos multiculturais abrem portas para a quebra de preconceitos e dá ao público a oportunidade para o novo. Mesmo para quem já participa de eventos de Psy Trance, dá-se a chance de entender melhor e aprender um outro lado das festas, que muitas vezes pode passar despercebido em raves e pvts. Esse é nosso diferencial, buscamos proporcionar ao público um esclarecimento sobre as festas de Psy e mostrar que existe um grande significado para quem vivencia. Planejamos um local perfeito para que novas pessoas venham conhecer mais sobre a cena e também possam trazer seus filhos, amigos e familiares.

Por que outras festas não enxergam essa importância?
Isso é particular de cada produtor de evento. Nós projetamos aquilo que sentimos e acreditamos ser o Psy Trance.

Existe algo que ainda queiram implantar em uma próxima edição?
O Movimento Cultural Psicodélico está em constante transformação, buscamos a cada edição aperfeiçoar os detalhes e proporcionar a melhor experiência individual. As atividades são projetadas com muito carinho e atenção para que todos tenham a chance de participar. Além de tudo, buscamos sempre uma inovação, não só no Movimento Cultural Psicodélico mas da cena Psy Trance em geral.

Uma das maneiras que encontramos para conseguir proporcionar uma melhor experiência ao público foi limitando o número de entradas do evento, assim temos um melhor controle de qualidade, tornando a absorção das experiências mais significativas. Também estamos com um projeto de implantar uma melhor interação do público com as produções da Tríade Trance, temos novidades para 2019 em andamento.

Teremos mais duas edições ainda este ano, já pode nos adiantar algo destas edições?
A edição de 16 de Junho terá a temática Junina, uma idéia que já estávamos com planos e agora iremos colocar em prática. Acreditamos ser a edição mais divertida desse ano, relembrando as tradicionais festas dessa época, com tudo que tem direito! Na sequência encerraremos as edições de 2019 em 22 de setembro. O plano é fazer “AQUELA QUE DEIXARÁ UM GOSTINHO DE QUERO MAIS”. Com o carinho e apoio de todos que fazem parte desse Movimento, com certeza será mais uma edição maravilhosa cheia de transformações!

Próximos eventos